sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Adeus ano velho

Pois bem galere, eu vou dar uma viajada rápida pro Nordeste e por isso devo ficaraté o final do ano sem postar, retomando o rtimo normalmente ano que vem. Então o blog vai ficar abandonado um tempinho, o que, aliás, ando percebendo que acontece com muitos outros.

Bem, é tradição aqui no Invisible fazer uma retrospectiva de como foi o ano e quais foram os pontos positivos e negativos. Bem, o ano que passou foi em geral bem parecido com os demais anos, ou seja, um lixo, chato, sem sal, rotineiro e com todas as outras características negativas tão comuns na minha vida.

Continuei estudando horrores, fazendo dois cursos, não ganhando nada em sorteio (algo que eu espero MUITO mudar em breve), sendo nerd, cansado, jogando totó, passando a maior parte do tempo estudando/casa e muitas outras coisas. Ainda não posso andar de moto e perdi um aliado importante para o outro time nessa luta, meu pai.

Podia ser um ano tosco como todos os outros, mas várias pesssoas de maneira especial salvaram esse ano.Uma eu havia conhecido ano passado, aqui pelo blog, eu no começo achando que ela era um homem de peito cabeludo, mas que depois demonstrou ser uma menina linda e super chuchu beleza.

Gostaria de continuar sendo amigo dessa pessoa pra sempre, ainda mais agora que a gente vai estudar a tiops, 50 metros um do outro, diferente de antes que a gente estudava a 300km um do outro.

A outra é uma moreninha dondoquinha inteligentinha bonitinha São Paulina que um amigo em comum, "casamenteiro" diga-se de passagem, apresentou. Sei lá como descrever ela, dizem que seu julgamento sobre uma pessoa fica prejudicado quando se está envolvido, e eu acredito. Só digo uma coisa: é minha coroa favorita! =)

Outras pessoas também tiveram um papel especial esse ano, meus velhos amigos, minha família, alguns professores, alguns pacientes, principalmente os pacientes da pediatria e os pacientes da neurologia. Meu carro velho que foi vendido, companheiro de tantas aventuras, meu carro novo, futuro companheiro de outras tantas.

As pessoas que eu conheci na blogsfera, que mudaram meu jeito de pensar com as mais diversas opiniões, os novos blogs de velhos amigos, os velhos blogs, todos me ajudaram a adquirir um pouco de experiência de vida de outras pessoas. Espero poder continuar lendo esses blogs ano que vem.

E é isso gente, até ano que vem.

Frase do Dia:

"Feliz Natal e Feliz ano novo!"

Todos para todos

domingo, 6 de dezembro de 2009

A Volta dos Tempos Dourados do Rio de Janeiro?

Já me diziam, desde a mais tenra idade que, se a vida te der limões, faça uma bela limonada. Eu sou Vascaíno em uma casa, e um família por falar nisso, exclusivamente Flamenguista, desde os mais velhos, até minha irmã, que aliás é MUITO pé quente, todos torcem pelo rubro-negro carioca. Desse modo, você devem entender o quão grande vai ser a zoação no próximo ano pelo menos.

Eu poderia ficar discorrendo sobre a incompetência do São Paulo, e principalmente, do Palmeiras em ter conseguido segurar o título, mas vou confessar, que por trás das aparências do arquirrival que sempre torce contra, devo dizer que até dei um sorriso de canto de boca quando o Hebert Roberto Lopes (o juiz mais odiado da história do Vasco, por outros motivos) apitou o final de jogo.

E por que o sorriso o canto de boca? Porque esse segundo semestre, foi, sem dúvida, dos cariocas. Botafogo, Vasco, Flamengo e principalmente, uma das campanhas mais absurdas da história dos pontos corridas

Primeiro o Botafogo, que passou o campeonato todo tranquilo e acaabou só conseguindo escapar da série B na última rodada. Não foi das histórias mais emocionantes, mas o finalzinho dela foi de emocionar, sem dúvidas. Destaque principalmente pra outro Botafogo, do DF, do qual a Vanessa é torcedora fanática =p, que fez uma boa primeira campanha na Serie B do Brasiliense se não me engano.

Em segundo, empatados, guardadas as devidas proporções, Vasco e Flamengo.

Flamengo começou o campeonato de maneira apenas razoável, mas a chegada de dois jogadores, não só física, mas espiritual, de dois jogadores mudou a história do campeonato desse ano. O primeiro deles, Adriano, que saiu do time multicampeão da Itália para jogar no time do seu coração. Antes eu não gostava muto dele, agora ele tem um pouco da minha simpatia.

O Segundo e mais surpreendente foi um certo estrangeiro, um sérvio, que sempre que vem pro rubronegro faz história. O dono da 43 só jogou esse ano no Hexacampeonato (tão hexa quanto o Vasco é penta, mas não vou criar confusão hoje) porque trocou a oportunidade por perdoar uma dívida monstruosa que o time tinha com ele. E se Petkovic não ganhar a bola de ouro desse ano, ela vai pro Tardelli, do Galo mais bonito do mundo =).

Já o Vasco, melhor time do mundo depois do Senzala Futebol Clube, Se redimiu de certa forma do primeiro semestre do quase, onde não ganhou o carioca de bobeira e foi eliminado da Copa do Brasil SEM PERDER UMA PARTIDA, em uma partida que me faz porem dúvida o critério do gol fora de casa.

Mas no final acabou conquistando a Série B e confirmando a hegemonia do Rio no futebol esse ano, e o mais importante, formou uma boa base que deve ser aprimorada e colocar os cruzmaltinos com fortes chances de títulos esse ano, principalmente se conseguirmos trazer nosso amuleto de volta pra Colina. Vem, vem Juninho vem.

Finalmente, a campanha mais bonita desse ano foi sem do Tricolor das Laranjeiras, 236 rodadas na Zona de rebaixamento, 98% de chance de cair, e eles, sei lá como, deram a volta por cima e conseguiram uma recuperação histórica e ficaram na série A. Que isso sirva de lição sobre a capacidade (negativa) do Renato Gaúcho. Pra ficar perfeito só faltou a Sulamericana, mas paciência.

Só uma coisa me entristece, imaginar a carinha triste da Sâo Paulina fanática mais bonita do mundo inteiro, não vendo seu São Paulo ganhar quatro vezes seguidas o campeonato. Quem sabe ano que vem o tricolor tem mais sorte, e eu possa ver aquele sorriso lindo.

Frase do Dia:

"O Flamengo perdeu o título..."

Meu pai, desiludido, no momento em que o Petkovic cobrava o escanteio que resultou no segundo gol do Flamengo.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Escolhas

Antes de mais nada creio ser necessário um glossário para pessoas que como a Nay, não entendem muito de carro

BMW Z4 - o carro prata do post anterior, ficou famoso quando apareceu em um 007.
Ford GT40

projeto da Ford para ganhar das Ferraris em Le Mans é sem a menor dúvida o melhor carro de corrida americano de todos os tempos.
Ford Shelby Cobra

Obra prima do Mr. Shelby, é um ícone do automobilismo
Ducati 1098 S

Moto esportiva top de linha da Ferrari das motos.
Ducati Streetfighter S

Moto naked (sem carenagem) top de linha da Ferrari das motos
Porsche Cayenne

A Porsche mostrando que de sua fábrica não saem apenas 911.

Vejo duas possibilidades claras e extremas para um eu, um Gustavo Henrique do futuro, tudo isso dependente de como minha vida se desenrolar nos próximos anos e das escolhas que eu fizer e principalmente das escolhas que meus pais realizarem e que obviamente tiverem algum impacto em mim.

O primeiro Gustavo seria um cara legal, daqueles que visitam os amigos com costumácia, sempre brincalhões, que adoram seus empregos, que passam o final da semana com os amigos e que levam a mulher de surpresa de vez em quando para jantar naquele restaurante romântico em que a pediu em noivado ou então naquela praça onde deram o primeiro beijo.

É o tipo de cara que ama sua vida e gosta de vivê-la intensamente. Está sempre viajando, conhecendo novos lugares, não apenas os lugares da moda, França, Eua e outros, mas lugares um tanto quanto fora das destinações do guia Pirelli. Visitar lugares como Jerusalém ou Coréia do Norte nas férias do meio do ano são ideias que realmente fazem sua cabeça.

Esse Gustavo é um entusiasta de carros e motos, e terá no mínimo seis exemplares em sua garagem. Dois americanos, réplicas, um Ford Gt 40 e um Ford Shelby Cobra, o primeiro vermelho com faixas brancas ou branco com faixas azuis, o segundo com certeza azul com faixas brancas. Teria dois alemães provavelmente, um Cayenne e uma Z4, talvez se rendesse a um japonês burocrático, que serviria apenas para realizar suas atividades cotidianas sem precisar gastar 19 l a cada km rodado.

Teria também duas italianas, uma Ducati 1098 S e uma Ducati Streetfighter S, simbolizando sua paixão por motos que tinha desde pequenininho, e a qual desenvolveu quando ganhou uma moto antes dos 20 anos, momento em que estava quase desistindo pra sempre de andar de motos, afinal, aprender a andar de motos com trinta anos seria fogo. Participaria de Track Days com frequência, afinal nem só de estrada vive o homem, mas de todo autódromo presente em sua cidade.

Teria alguns filhos, dois ou três, que criaria com muito amor. Levaria o filho para jogar futebol na quadra nos fins de semana, e a família para passear no parque, desfrutando da companhia de quem o faz feliz e das pessoas com que quer passar pelo resto da vida. Os filhos estudaram em um colégio que estimule suas criatividades, e seriam apoiados em qualquer carreira que escolhecem para praticar, pois queria que eles fossem tão felizes quanto ele. Os buscaria na escola com uma das réplicas, de modo que seus filhos entendessem desde cedo o orgulho que dá ter um carro legal e a sensação que é ter um motor de centenas de cavalos central e atrás rugindo e empurrando o carro para frente.

Um cara feliz

O outro Gustavo seria um cara burocrático, que não teria nenhum amigo, apenas alguns colegas, usando e abusando da boa vontade deles. Não olharia nunca para a cara da mulher, a não ser para ficar na mesma cama, obviamente virado para o outro lado da cama. Se esqueceria provavelmente do dia em que se casaram. Seria careca e mesmo assim deixaria o cabelo grande na vã tentativa de disfarçar sua herança da genética e do stress.

Não viajaria, ou viajaria apenas para poder visitar os avós de seus filhos de vez em quando. E a viagem nunca seria uma fonte de prazer e de lazer, mas apenas mais uma forma de se estressar e perder o pouco cabelo que ainda lhe resta em seu couro cabeludo. Em uma certa idade se cansaria dessa rotina e deixaria de ir todo ano até o momento em que iria uma vez no ano.

Não seria apaixonado por carros e motos, vendo-o os primeiros como apenas meios para se chegar a um determinado lugar, sem a menor necessidade de ter um ronco bonito ou uma boa retomada. Desse modo, por mais que tenha dinheiro para algo bem melhor, teria apenas um japonês burocrático como um Corolla ou um Civic ou uma Hilux ou Outlander se tiver um surto de audácia ou um carro elétrico com autonomia de 200km se tivesse um surto de medo.

Medo, que aliás, faz parte de sua rotina, e o faz ter um preconceito bobo contra motos, odiando e culpando esses veículos por todo e qualquer problema de trânsito de sua época. Medo esse que é devido provavelmente a sua personalidade chata ou ao fato de seus pais sempre terem falado mal desses veículos.

Também teria alguns filhos, e dispenssaria tanto amor e atenção a eles quanto dispensa a sua mulher e provavelmente teria um péssimo pensamento de que quanto mais horas de aula na escola de seus filhos melhor, afinal eles estarão recebendo mais atenção do que ele seria capaz de dar depois de chegar exausto do trabalho, trabalho esse que serve exclusivamente para lhe dar um salário e muitos aborrecimentos. Exigiria que seus filhos fizesssem uma das carreiras consideradas pop, e os desmeceria por não se formarem em direito e medicina aos 23 anos como ele. Pagaria uma van escolar para buscar os filhos na escola.

Seria um cara burocrático.

Uma pena, mas ele perdeu a paixão por certas coisas. Eu ainda sou o primeiro tipo, mas estou lentamente sendo puxado para o lado do segundo por uma correnteza, e estou empenhando todas as minhas forças nessa batalha, e estou cansado.

Frase do Dia:

"O tempo cura tudo, até o amor."

Ilustre Desconhecido (sugestão do Chimi)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Adeus velho amigo.

Hoje eu dei um último passeio com um grande amigo antes de ele ir embora, provavelmente para fazer outra pessoa feliz. Ao seu lado eu passei por diversas provações, momentos felizes e tristes, vitórias e derrotas.

Já escutou muitas histórias minha esse amigo. Já teve que carregar mais carga do que podia, já forneceu o aconchego de seu lar para que eu namorasse algmas meninas, já deu carona para diversos amigos meus, sem nunca reclamar ou chantagear. Sempre saímos pra beber juntos, conversar, falar bobagens.

Ele por incrível que pareça escuta e gosta da mesmas músicas que eu, além disso, ele ainda canta essas músicas comigo, não se importando com minha voz horrorosa, enquanto ele canta perfeitamente bem, não importa em que altura.

Ele sempre me levava para passear, afinal ele era meio riquinho e tinha uns 68 cavalos na sua casa, os quais ele usava sempre para poder se deslocar de um lugar ao outro. Não eram muito rápidos, mas não comiam muito também e por isso compessavam.

Mas tudo o que é bom e tudo o que é ruim acaba um dia, e foi o que aconteceu. Por isso eu escrevo essas poucas palavras para um velho e grande amigo que agora vai embora. Adeus.



Frase do dia:

"Se não tivesse limitador dava 300km/h"

Amigo zoando entusiasta do Prisma 1.4, meu possível novo carrinho.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Mudanças

Ando percebendo que ando mudando horrores nos últimos tempos, ando ficando velho, rabugento e chato, ou como as pessoas moderninhas-alienadas-em-sua-tentativa-de-fugir-da-alienação definem: "estou ficando mais maduro".

E um ótimo meio de perceber isso, e que foi justamente o qual me levou a chegar a essa conclusão terrível, é o de analisar os gostos pessoais, pricipalmente no que se refere ao meu gosto por carros. Não é segredo pra ninguém que duas das coisas que eu mais gosto são exatamente carros e motos, seja devido a força do motor, a adrenalina da velocidade e principalmente a inteligência que é exigida para se controlar um motor.

Antigamente esse seria meu carro dos sonhos. 600 cavalos, chegando a 100km/h em menos tempo do que você leva para ler essa frase, esse é sem dúvida o sonho de qualquer adolescente ou até mesmo adulto jovem dos Estados Unidos e de boa parte deles ao redor do mundo, não é a toa que em toda eleição pela internet ele é eleito o carro mais sexy e bonito do mundo. Um legítimo super esportivo.

Hoje em dia esse carro povoa muito mais meus sonhos do que esse ai de cima. A diferença? Metade da potência, mil vezes mais confortáveis e com bem mais acessórios que o de cima, cuja a coisa mais moderna são os vidros elétricos. Além de ser vendido por um terço do preço.

Por que eu mudei de preferência? Bem, apesar de toda essa qualidade que o primeiro apresenta a primeira vista, quando se passa a entender um pouquinho mais de carro, sabe que o preço absurdo, o ipva astronômico não compensam por uma carro que sobresterça horrores, patina toda hora, tem desempenho inferior aos de preço semelhante ou até mesmo alguns bem mais baratos, como o Audi R8, e além de tudo só não tem um interior de carro 1.0 porque o banco é de couro. Seria uma típica compra emocional.

Já o segundo vvem com todo tipo de modernidade que se pode imaginar, controle de tração. frenagem combinada, sensor de estacionamento, banco com ajuste elétrico com memória, computador de bordo, ampla rede de lojas, revenda relativamente fácil. sistema keyless, paddle shift opcional e mais um monte, o que o torna muito mais interesante para se utilizar no dia a dia do que um SRT-10.

Claro que com o tempo eu vou precisar trocá-lo por um sedan ou uma sw, mas até lá eu vou estar com outra mentalidade, e provavelmente poderia té fazer outro post igual esse. =P

Frase do Dia:

"Pretty Bitches, lights on
Ugly Bitches, lights off!"

by Young Hot Rod, na sensacional cançao "I Like to Fuck"

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Maus Retalhos

O que Maus e Retalhos tem em comum?

Bem, ambos fazem parte de um estilo que pra mim é o futuro da literatura. Aliás pra mim até mesmo os livros do passado sofreriam sensível melhora ao serem adaptados a essa nova realidade, que antes sofria grande preconceito e que agora recebe cada vez mais prêmios em festivais especializado, como os sempre festejados Harvey e Eisner Awards, e até mesmo alguns prêmios tradicionalíssimos de outras áreas, como o Pulitzer.

Esse estilo permite um impacto visual imediato, pulando a descrição de cenários, personagens e outros. É mais real, mais pessoal, sem ser algo como o cinema, em que muitas vezes parece que a história é uma versão de outra pessoa que você está assistindo. Nessa maneira de retratar acontecimentos você ainda pode imaginar a música que estava tocando no ambiente, o som das vozes dos personagens, até mesmo que entonação ele usava naquela cena.

"Maus" trata da "narrativa mais comovente e incisiva já feita sobre o Holocausto" segundo o Wall Street Journal. Na minha opinião, além de contar o holocausto de quem viveu por dentro em uma fábula que, com uma capacidade de comover e identificar comparável a de Esopo, consegue tocar fundo em pessoas que como eu, nunca saberão de verdade o impacto que a revelação dessa página da história causou na população na época.

Maus, que apesar do feliz/infeliz trocadilho, significa na verdade ratos, traz a tona outra característica fundamental no meu ponto de vista para o triunfo do livro, todos os personagens são animais, judeus são ratos (os maus do título), nazistas gatos (inteligente), poloneses porcos(bem pensado), os americanos como cães (genial) e os ingleses são peixes (morri!), mas todos são antes de tudo humanos.

Tão humanos que de certa forma tiram a imagem dos judeus como eternas vítimas da história, sem defeitos, sem falhas, sem preconceitos. Aliás, Vladek, o protagonista, em determinado momento vira um gato ao se encontrar com um negro americano na estrada, tendo com ele a mesma atitude que os nazistas tinham com os judeus, lembrando que o preconceito não é uma característica germânica e sim humana.

Esses são apenas alguns dos detalhes que tornam essa narrativa não-clichê do holocausto tão top, pra descobrir o resto só lendo.

O segundo é "Retalhos", que já foi comentado aqui no blog.

É difícil falar dele, então vou só comentar o fato de que se você sempre quis saber mais sobre como foi aquele história com a Jennifer que já foi alvo de post aqui, esse livro conta uma história quase idêntica.

Fala sobre tudo, sobre o amor, sobre o silêncio, sobre adolescência, sobre religião, sobre a ida para a faculdade, sobre a escolha de um emprego que não agrada aos pais, sobre a primeira vez, sobre namoro a distância, sobre o fim, sobre o recomeço, sobre sexo, sobre pré-conceitos sociais, sobre alegria, sobre tristeza, sobre mim.

O que os dois tem em comum? São os melhores livros que eu li esse ano.

Frase do Dia:

"Vou pegar a Tucson do meu pai pra pegar gatos"

Stéphane

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Sobre as pequenas coisas

Hoje resolvi escrever sobre algo que eu queria escrever há muito tempo. Faz dois dias que eu não como quase nada, sendo que ontem eu tomei uma vitamina de banana, e comi um sanduíche de presunto e queijo. Hoje tomei a vitamina de banana e só. E nesses dois dias eu não senti fome. Isso claramente indica que eu estou muito triste.

E o motivo é um só: há dois dias que uma frase dita pela Vanessa há muito tempo atrás: "Quer saber, se as pessoas fazem isso, pode ser que quem você considere amigo, não te considera amigo, só um colega talvez." Se fosse uma ou outra pessoa tudo bem, mas eu estou paranóico. Talvez eu tenha quase nenhum.

Talvez eu exija demais das amizades, mas pra mim a definição de amizade é simples: É você definir prioridades. Porque amizade não se define por palavras, se define nas pequenas atitudes, nas pequenas coisas.

Se demonstra a amizade quando você sacrifica seu final de semana para ir naquela festinha horrosa de aniversário do seu amigo. Sua namorada está te enchendo o saco, você tem que acordar cedo, mas dane-se, é o aniversário do seu amigo.

Amigo é aquele que escolhe o amigo pro seu time de futebol, mesmo sabendo que ele é um tremendo perna de pau e que com certeza vai entregar o jogo tomando um monte de frango ou então entregando a bola. Mas dane-se, é seu amigo.

Amigo é aquele que, no dia de folga, sai de casa para atender o filho doente porque o pai liga desesperado sem saber o que fazer. É o único momento na semana que você pode ficar com sua família, você atendeu pacientes a semana inteira, mas dane-se, é seu amigo.

Amigo é aquele que tendo uma prova no outro dia de manhã, e ele só estava pegando a matéria no computador, quando de repente um amigo chega dizendo que terminou com a namorada. Você sabe que vai demorar, que você vai se lascar na prova, mas dane-se, é seu amigo e ele merece atenção.

São nessas pequenas coisas que as pessoas são mais sinceras.

Talvez eu me doe demais, talvez a amizade não tenha mais o valor de antigamente, talvez eu simplesmente não seja interessante o suficiente e não tenha nada a oferecer pros meus possíveis amigos.

Talvez eu só seja insuportável mesmo.

Talvez eu vá acabar morrendo de fome.

Frase do dia:

"beleza é um conceito relativo, mas a falta dela quase sempre é absoluta."

Frase minha, a pedido do Henrique.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Senta que lá vem história.


Era uma vez uns bichinho chamado Zé Grilo. Meio feinho, um tanto chato e com um ou dois dedos de inteligência. Como todos os grilos, esse frequentava uma das escolas que ensinavam tudo o que um grilo adulto deveria saber, ou pelo menos era o que eles diziam. Ele era muito famoso na região pois estudava duas artes muito respeitadas, o canto e o salto.

Apesar de gostar muito desses dois cursos, o pequeno artrópode não gostava muito daquele estilo de vida agitado e solitário. A bem da verdade, o que o grilinho mais queria na vida era uma grilinha para ficar ao seu lado. Só queria alguém para poder repartir as folhas, para poderem cantar juntos e essas coisas que os grilos fazem.

Como bomo sedutor que era pensou: Caramba, os grilos que as pessoas acham bonitões tem todos antenas grandes. Jonnhy Grilo, Brad Grilo, George Grilo, Tom Grilo e mais um monte. E eu acho bastante legal ter antenas grandes. E então o grilo deixou suas pequenas anteninhas crescerem, pois achava que ficariam bonitas.

Mero engano, ninguém gostava de sua anteninha, só ele. E todos diziam: "Corta essas anteninhas", ou então, "Onde já se viu um grilo cantor com antenas longas, o que os ouvintes vão pensar", ou até mesmo "Vi um grilo mendigo lá fora com as antenas iguais as suas". E o grilo ficava sem entender, afinal Brad Grilo e Tom Grilo usam antenas longas e ninguém reclama.

Então uma grilinha lhe deu a resposta: "Você não é o Brad Grilo..." e então Zé comprendeu tudo. O problema não eram as antenas, e sim que ele não era bonito. E de nada adiantou ele tentar atrair a atenção para a única coisa que ele achava bonito em sua pessoa: suas antenas. E percebeu que existem certas coisas na vida que não dá para mudar, e que não importava o que ele fizesse, seria sempre o grilinho feio.

E a cada vez que alguém falava de suas anteninhas, ele se lembrava da verdade, das coisas que não podia mudar. E ele ficava triste, morria por dentro, pois sabia que aquilo continuaria até que ele morresse por completo. Curiosamente, ele ainda conseguia ir muito bem no canto e no salto, e também mantia o bom humor, fazendo até piadas com suas anteninhas.

Mas quando estava sozinho pensava: "Vou cortar as minhas anteninhas, não aguento mais, acho que nenhuma grilinha gosta delas". Mas ele sabia que assim que se visse no espelho de anteninha curta, ele deitaria na cama, e ficaria ali por noites, dias, semanas, sempre. Morreria ali, morreria de tristeza, pois saberia que as coisas que ele gostava nunca davam certo.

Pobre grilo, achava que a única coisa que diriam em seu velório seria: ele fica bem melhor de antenas curtas...Mas então, quando estava quase desistindo, encontrou Maria Grila, e ela gostava de suas anteninhas. Zé Grilo mal pode acreditar. E a partir de então todo final de semana eles se encontravam para poderem cantar juntos, contarem histórias, compartilharem a vida.

Talvez tenha valido a pena, pensou Zé Grilo.

Frase do dia:
"Seu cabelo é comivel"

Máah

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Top 5 Heróis de Videogame

Bem amigos da rede globo, há muito tempo (muito mesmo) atrás eu fiz um post sobre os melhores supe-heróis dos quadrinhose hoje eu resolvi continuar essa saga e postar sobre os melhores protagonistas do time dos videogames, como bom nintendista que sou, claro que vou puxar sardinha pro meu lado, e 2 dos 5 serão da Nintendo, um da Sega, um da Konami e um da Sony, o Kratos. Brinks ca galere, o último personagem é da Ubisoft, e é por ele que começa a lista:

#5 - Prince

Ele revolucionou a história dos videogames dando aos personagens movimentos mais humanos, inserindo limite de tempo para completar o jogo, Viagens no tempo in game, andar pelas paredes, combos incríveis, histórias memoráveis e consegue ser um jogo sempre inovador sempre que é lançado.

Tudo isso e nem sequer sabemos o nome do protagonista do jogo, aliás dos protagonistas, já que geralmente a cada três jogos temos um novo príncipe em nossos consoles. Com mais habilidade e truques que um ginasta olímpico e com histórias que lembram e muito o clima "Mil e uma noites", o príncipe sem dúvida merece um lugar no podium.

Pra quem já jogou, fica um vídeo que eu dou pala de rir quando assisto

#4 - Naked Snake/ Big Boss

Coloquei esse já sabendo que irei ouvir mimimis diversos de jovens dizendo que o Solid Snake é muito melhor e mais foda e mais macho. Um absurdo quando se compara ao melhor soldado de todos os tempos, do qual o jovem é só um clone, que usa mullets, bigode e não tem um olho.

Além disso, ao contrário de Solid, ele não é manipulado pelo Patriots, e também deu um trato bem dado na Eva,depois de esnobar ela o jogo inteiro. Se isso não bastasse, ele ainda construi sozinho uma nação militar nos moldes de Sparta, ressiucitou, bateu na Boss e ainda arranjou tempo pra fugir de uma ilha prisão.

Fora que ele tem uma das melhores músicas tema ever.

#3 - Sonic the Hegdehog

Quando eu era guri os meninos tinha duas escolhas terríveis a fazer. A primeira era escolher qual o time do coração, aquele para o qual você ia torcer pelo resto da vida, faça chuva faça sol, perdendo ou ganhando, aguentando a zoação ou zoando. A segunda escolha era entre o Master System e o Super Nintendo. No Master tem sangue no Mortal Kombat, mas o Street Fighter do Snes é melhor, a Nintendo só tem jogo pra criança, e a Sega nem jogo tem e outros mimimis eram ouvidos diariamente durante a jogatina.

E ninguém encarnava melhor o espírito da Sega do que seu mascote Sonic. Malandro, no estilo teen, manjando da velocidade, esbelto, sempre sacaneando os inimigos, Sonic era de certa maneira mais adulto que o rival Mario, o que sempre colocava lenha na briga Sega X Nintendo. Mereceria um lugar mais alto se não tivesse entrado em franca decadência, sendo que o melhor jogo do qual participou nos últimos tempos é, pasmem, da Nintendo.

O desenho dele era muito foda

#2 - Link

Minha série de videogame favorita tem como protagonista um jovenzinho chamado Link, que ao contrário do que todos pensam, não é um elfo e sim um Hylian, não se chama Zelda, e não é destro e sim canhoto. Mas nada disso muda o fato de que ele é um dos heróis mais completos dos videogames, tendo um aqui-inimigo, salvando o mundo do apocalipse, da escuridão, da submersão e qualquer outra coisa que você imaginar. Já foi herói do tempo, dos ventos, das eras, das estações e de mais mil e uma coisas.

Pra quem é fã, fica o desafio de saber o que está faltando na foto, ou na verdade, que possivelmente é a menininha da foto. Resposta nos comentários.

Fora ser o dono da trilha sonora mais bonita da história dos videogames

#1 - Mario


Clássico. Não tem o que dizer para se fazer jus ao boleiro,encanador, tenista, jogador de beisebol, piloto de kart, de moto, pintor, médico, músico, dançarino de lambada e gari italiano mais famosos do mundo. Recriou os jogos em 2D e 3D, só isso.


Frase do dia:

"It´s me, Mario!"

Mario Mario

terça-feira, 29 de setembro de 2009

How to get a Nerd on five easy steps

Atenção, atenção, você cocota bonita e sensual que sempre sonhou em ter ao seu lado um companheiro de aventuras, inteligente, com papos estranhos, gírias estranhas, roupas estranhas e principalmente, hobbies estranhos, ou seja, um Toddynho... Na verdade um Nerd. Esse guia foi feito pra você.

Confira em cinco fáceis passos como conquistar a grande maioria dos nerds do universos conhecido, tirando o Daniel Dark Prince, cuja a conquista é uma verdadeira incógnita para os maiores especialistas em relacionamentos do planeta, como Hitch e Gene Simmons (quem assiste o reality show dele sabe o que eu tô falando...) e tirando também eu, porque digamos que alguém chegou primeiro que você, te fode ai nerdona.

Enfim, logo após a descrição inicial, gostaria de fazer uma pequena observação antes. A maneira de se conquistar cocotos normais vale aqui também, então você, gatinha manhosa que já tem altas estratégias devido a sua vasta experiência amorosa, poderá usá-las. O objetivo desse guia a demonstrar estratégias específicas.

STEP 1 - MEET THE NERD

Bem, nerds gostam bastante de coisas que tem lógica, e esse guia também terá uma. A primeira coisa que se deve fazer para conquistar uma pessoa é obviamente conhecer essa pessoa. E pra sua sorte, querida (ou querido, vai saber) leitor(a) os nerds normalmente tem uma capacidade sobrenatural de estar em grande parte dos lugares.

Seu habitat natural é seu quarto, de preferência com um pc ligado jogando um RPG online, mas quando ocorre o evento raro desse animal sair de sua toca, provavelmente você vai encontrá-lo nos lugares cult de sua cidade. Não que todo nerd seja cult, mas existe esse fenômeno. Então menina moça, você deve ir aquele cafezinho com gente estranha e balada com música de videogame (Café Balaio?) e não naquela balada que toca Funk a noite inteira (Pixie?Sabatash?). Shows de música Indie ou Metal constumam também ter uma grande quantidade de nerds, assim como aquelas festas mais famílias, onde o grupinho de nerds costuma se concentrar nas proximmidades da TV de Plasma+Videogame.

Se você, universitária, adora as festinhas da facu suas chances de encontrar um nerd aumentam a medida que a festa é underground (tiops, a chance de você encontrar um nerd na Happy Hour da Arquitetura ou na Realize do que o Eletroxurras, por exemplo). Finalmente, existem aqueles lugares onde você certamente achará um nerd: Em eventos de anime, Videogames Live, na X-box live, no VT, na PSN, na Wi-fi connection do Wii e em outros lugares tipicamente nerds que você provavelmente não está afim de ir.

STEP 2- TALKING WITH THE NERD

Pois bem, você achou aquele nerd dos seus sonhos, seu Link montado na Epona, seu Mario em cima de seu nobre Yoshi, seu Kratos subindo o Olimpo nas costas de Gaea só pra te encontrar, seu Rockstar que consegue cinco estrelas no Guitar Hero, seu Cloud Strife montado em um Chocobo branco, ou até mesmo... você entendeu.

O segundo passo na conquista é começar um papo com o Padawan. Ou você esperava que um nerd viesse falar com você? Uma coisa que você deve saber nesse ponto é que o nerd é um completo idiota social e principalmente afetivo, então não fique preocupada se ele te ignorar sumariamente, gaguejar enquanto fala com a senhorita, ou até mesmo ser escroto para com sua pessoa. Tudo isso é normal.

Continuando, fato é, nerds costumam ser compulsivos com algo, e por isso falam muito bem disso, além de terem um vasto conhecimento geral, e por isso podem gerar um papo até agradável se você tiver sorte. Costumam fazer piadas cabeças ou excessivamente toscas, então não se sintam mal se não rirem.

Se o interesse em vocês sobreviver a esse encontro com o suprassumo da antissociabilidade e você ainda estiver louc... disposta para poder viver esse lindo conto de amor, muito mais bonito que o do Cloud e da Aeris, você já pode passar para o próximo tópico.

STEP 3- COMMAND AND CONQUER

Seu interesse passou pela prova de fogo e agora tem certeza que você combinam que nem o Max Payne e a Mona Sax e a única dúvida na sua cabeça é: cmo faço pra conquistar esse brotinho nerd. A verdade é que nerds são de fato o tipo de pessoa mais fácil de conquistar que existe no mundo. Pra dizer a verdade sempre tem um nerd que gosta de você. SEMPRE.

Pra cativar o amor de um nerd basta que você dê a ele o que a maioria das mulheres não dá. SEXO. Brinks, atenção na verdade. Converse com ele, o ouça, dê bom dia, ria das piadas, demonstre que gosta de ficar ao lado dele. Vá em sua festa de aniversário. Sorria quando ver ele, seja simpática. Mais cedo do que você pensa o nerd vai estar apaixonado por sua pessoa e vai fazer de tudo pra te fazer feliz.

Existe uma maneira mais fácil e mais perigosa. É simples, conte para o nerd que você gosta dele e que quer ficar com ele. Normalmente isso é mais que suficiente para o nerd te dar uma chance em um relacionamento, nerds tem uma queda por cocotas que gostam deles, mais do que as pessoas normais. O problema é se o nerd estiver gostando de outra cocota, o que provavelmente vai levá-lo a ignorá-la, porque eles são seres racionais e como tal, evitam conflitos que não sejam realmente necessários.

STEP 4 - THE RELATIONSHIP

Então você agora comeou o relacionamento que tanto queria com seu príncipe encantado no Warthog branco? Aquele que summona até Ultima dando 9999 de dano com um ataque sem nem arranhar seus MPs?

Acredito que agora você deve saber algumas coisas de como é namorar um nerd, suas vantagens e desvantagens. A principal vantagem de se namorar um nerd é que eles tendem a ser muito, MUITO fiéis, seja por força do imperativo categórico, seja por não conseguirem pegar mais ninguém do que a boa alma que é você, seja porque se vacilarem nunca mais transarão... ou até mesmo porque o tempo que ele passaria traindo você é melhor aproveitado jogando Viewtiful Joe (HENSHIN BABY!). Além disso, nerds costumam ser relativamente românticos e gostam de passar muito tempo com a cocota amada, além de gostarem de assistir filmes e irem a shows. Finalmente, não podemos nos esquecer que boa parte dos jovens garfanhotos tem pela frente o que o homem médio do direito costuma chamar de futuro brilhante.

Já a principal desvantagem de se namorar um nerd é que eles gostam de evitar discursões que julgam desnecessárias, e aqui entram as intermináveis DR que existem em todo namoro. O motivo desse comportamento típico é que os nerds geralmente são pragmáticos e portanto buscam soluções práticas e discursões intermináveis que só tomam tempo útil e desgastam um namoro não são um exemplo muito bom de solução prática, apesar de sere necessárias de vez em nunca. Outras desvantagens são que eles não gostam muito de sair de casa e tendem a ignorar qualquer ser vivo quando estão em seu passatempo favorito, em geral jogar videogames. Cocotas que jogam videogames tendem a ser julgadas como boas companheiras pelos nerds. Finalmente, por último mas não menos importante, os nerds ODEIAM ser criticados sobre determinadas coisas que julgam ser sagradas, e quebrar essa regra de ouro pode facilmente levar a um clima mórbido entre os dois.

STEP 5 - THE AFTERMATCH

Poxa, infelizmente seu relacionamento com o Spartan não deu certo porque quando vocês dois estavam indo para o Halo veio o Flood e fodeu com tudo. Ou então Kujah usou aquela magia que deixa todo mundo do grupo ou morto ou com péssimos status?

Com o fim de um relacionamento com um nerd só existe uma única coisa que realmente é indispensável que você saiba: Nerds não se desligam facilmente de relacionamentos passados, de modo que podem passar muitos e muitos anos remoendo as mágoas e pensando segundo a matemática euclidiana porque diabos o seu namoro com a cocota de seus sonhos, sua Zelda, sua Yuna, não deu certo.

Por isso é importante que você evite fazer as coisas da enorme lista de "como magoar seu ex-namorado nerd", muitas delas que sequer despertam a atenção da ex-donzela de como ela está sendo escrota. A lista inclui evitar dar mole pra ele depois do fim, evitar tudo o que você evitava durante o namoro, evitar tocar no assunto muito precocemente, evitr ficar com um grande amigo dele, principalmente se esse amigo for nerd, evitar falar mal dele pelas costas e se fizer evitar que ele saiba.

Pra finalizar, se você ainda quiser voltar, depois de diversas aventuras sexuais com os liferullers bombados, esportistas, músicos, playboys, ricos, com o carro do ano, poetas, outros nerds ou sei lá com quem você esteja saindo, lembre-se que sempre existe a possibilidade de se usar uma Phoenix Down no relacionamento, mas que a Phoenix Down tem prazo de validade bem curto, geralmente não durando mais que seis meses.

Frase do dia:

"-You´re not Ross and Rachel!
-WHAT?
-Dr. Ross and Rachel from the drugstore.
-ohhhh...Ok."

Scrubs

domingo, 20 de setembro de 2009

10 things you hate about me

Eu sou uma pessoa bem fácil de não gostar e quase impossível de se gostar. Não sei, sou um nerd invisível, e quando não sou desse jeito eu me encaixo na categoria dos chatos, feiosos, insuportáveis e incovenientes. Mas eu sempre me surpreendo que, apesar de ter tantas coisas em mim que você não pode gostar, as pessoas se concentram em odiar algumas, quase sempre as que eu mais gosto, as quais eu vou citar a seguir.

10 - Sou Nerd

Acredito que isso seria um motivo de ódio mortal para noventa porcento das pessoas se eu fosse uns dez anos mais velho, mas como eu nasci em uma época que os nerds são uma modinha relativamente seguida, esse ódio é um pouco menor. Entretanto, ainda é visível que algumas pessoas se sentem incomodadas pela minha extrema falta de vida social, além do fato de eu passar boa parte do meu dia estudando ou no PC.

9 - Jogar Videogame

Na mesma linha do anterior, minha vida de ermitão dos videojogos e meu polegar pequeno e arredondado me fizeram ter um conhecimento e uma certa habilidade que me faz saber quase tudo o que se pode saber de videogame, além de raramente perder uma partida quando jogo sério, principalmente nos jogos que eu tenho. Mas o que deixa as pessoas injuriadas é o fato de que eu consigo jogar bem também jogos que eu nunca joguei.

Por exemplo, um jovem está empacado em uma fase a tempos sem conseguir passar, eu na primeira vez que pego o controle passo dela em poucos minutos, ou até mesmo quando esse mesmo jovem joga o software a tempos e quando vai jogar comigo perde. Acho que é o mesmo sentimento daquele cientista que estuda algo por anos e um recém-chegado conclui aquela pesquisa em muito menos tempo.

8 - Sou grosso porque sou autista

Muitas pessoas acham que eu sou grosso e insensível, além de mal educado, vingativo, nervoso e filho da mãe. Eu sinceramente nunca entendi porque, até porque, por incrivel que pareça, eu tento ser o car mais gentil e bondoso possível.

Ajudo as pessoas sempre que elas pedem, evito faltar em compromissos que marquei, procuro ser educado com todos, não sou maldoso nos comentário que faço entre outros. Mas se tanta gente tem a mesma opinião, alguma coisa deve ter.

7 - Meus posts polêmicos

Essa é especialmente para a Polly (polêmica!). O fato é que eu não faço os post com a intenção de ser polêmico, mas sempre que eu vejo tem uma discursão interminável, ainda bem que saudável, sobre picuinhas relacionadas ao post. Eu geralmente respondo tentando acalmar os ânimos da galere, mas ai que a coisa pega fogo, porque aparentemente meus comentários da paz colocaram mais lenha na fogueira e causaram mais confusão.

Vai entender.

6 - Minha companhia

Fato é que boa parte das pessoas me acha incoveniente e que minha compania traz pouco ou nenhum benefício para elas. A maioria acha que eu sou sem-noção, espanta-gatas e queima filme pelos mais diversos motivos.

Eu acredito, afinal um dia Luiz estava conversando com diversas gatas quando eu chego pra conversar com ele. Pra minha supresa (mentira, sempre acontece) as cocotas foram embora imediatamente e só retornaram ao local após eu ter ido conversar com outras pessoas, fato esse que foi percebido tanto por mim quanto por ele.

5- Minhas Roupas

Essa é unanimidade, todos acham que eu me visto mal. O estranho é que é bem provável que eu entenda mais de moda e das tendências do vestuário da galere, seja ele mainstream ou underground.

Entretanto eu não aplico meu conhecimento teórico na prática, e deixo a árdua tarefa de comprar minha roupas pra minha mãe e eu encaro meu guarda-roupa de manhã com os olhos semi-cerrados de sono e com um ânimo felomenal que me leva a escolher roupas aleatórias do dito cujo.

4 - Sandália

Pras três próximas eu usarei uma citação da Fernanda, ex-blogger do Melodia Aleatória.
"Gustavo, eu acho que você devia parar de usar essas sandálias..."

Super legal. Vai entender

3 - Barba

"...tirar a barba..."

Essa ainda gera uma certa dúvida nos corações juvenis das belas donzelas latino-americanas. Algumas adoram, acham que fica sexy, com cara de cafajeste, malandro, com mais cara de homem e menos de menino.

O problema são as que não gostam, já que elas não gostam "di com força" como diria as crianças do Brasil. Acham que eu fico com cara de mendigo largado, suja, estranha e outros adjetivos pouco carinhosos.

2 - Cabelo

"... e cortar o cabelo"

Essa e quase unanimidade também. 99% das pessoas acham que não é compatível com um médico-advogado um cabelo tão grande, e que o cabelo tira o meu pseudo-potencial de ser um galã de cinema pegador de gatas. Até a paciente bonitinha e novinha achava que eu devia cortar o cabelo porque eu fico com cara de mulher.

Mas a verdade é que meu cabelo tem um grande valor sentimental pra mim, porque eu não gosto do meu rosto, me acho feio, e também não gosto do meu corpo pois sou muito magrelo. Na verdade uma das únicas coisas em mim que eu gosto é meu cabelo, e das mil maneiras que eu arrumo ele. É praticamente a única coisa em mim que eu posso mudar constantemente.

Ainda bem que a Máah gosta.

1 - Meus comentários no seu blog

Ahá! Não adianta disfarçar, olhar pro lado, fingir que não é com você. Desconfio fortemente que boa parte das pessoas não gosta dos meus comentários em seus respectivos blogs. Normalmente porque elas interpretam muito literalmente o que eu escrevo ou então, mais comum até, leem muito rapidamente e não param para refletir.

Não que meus comentários sejam bons...enfim.

Frase do Dia:

"VEI, COMO ASSIM, COM O OLIMAR NÃO!"

Luiz, logo após ser derrotado no Super Smash Bros para o Olimar, personagem controlado por mim.

domingo, 13 de setembro de 2009

Ligações


Imagem do livro "Retalhos" de Craig Thompson

Hoje a noite tive um sonho esquisitíssimo, que fez acordar com o coração acelerado e com uma sensação terrível de angústia.

Era assim o sonho:

Eu começava pegando minhas coisas. Meu jaleco, minha maleta, meu estetoscópio e me preparava pra sair de uma sala que parecia um escritório. Antes de eu sair, alguém ligou para o meu telefone. Quando atendi era uma cocota, de voz bonita. A voz dela me despertou a estranha sensação de familiaridade, parecia que eu conhecia a voz dela há anos. ela disse:

- Vem logo, os meninos estão te esperando pra festa.

Não sei porque, mas eu sabia que ela morava longe e se eu quisesse voltar para casa eu teria que sair daquele lugar imediatamente. No caminho da saída, percebi que era um hospital, que era parecido com todo hospital na verdade. Todo branco, longos corredores, pessoas indo e vindo, silêncio total. Apesar disso, não consiguia reconhecê-lo, pois apesar de saber que era um hospital, era um que não era de Brasília, afinal conheço praticamente todos daqui.

Chegando na Saída, já me despedindo dos demais funcionários, ouço uma enfermeira chegando correndo esbaforida e falando:

-Dr., Dr., é uma emergência

Obviamente eu tive que voltar, pois era o único cirurgião de plantão, e por isso não poderia deixar de atender um paciente, principalmente porque era grave. Voltei correndo, e a cada metro que eu adentrava naquele lugar meu coração doía como se estivesse sendo dilacerado pois eu sabia que cada minuto que eu passava naquele lugar era um minuto a menos que eu poderia passar com aquele cocota e sabia também que meu lugar naquele momento não era ali, mas sim ao lado dela.

Chegando na sala de cirurgia, estava me preparando pra entrar enquanto os auxiliares me diziam que o caso é grave, que o paciente estava entre a vida e a morte. Entrei na sala e comecei a olhar o corpo do paciente. Não havia nenhum ferimento visível, os exames também estavam normais. Perguntei qual era o problema. Ninguém sabia, já haviam encontrado ele assim. Então fui olhar o rosto dele para tentar achar algo para me ajudar no diagnóstico e para minha surpresa


O paciente era eu.

Então acordei.

Lembram-se da cocota que tinha me ligado no começo do sonho. Pois é, ela me contou um sonho que ela teve um dia:

Quando eu sonhei com você, foi estranho por isso não quis contar. Sonhei que te esperava, e que tinha muitas pessoas... Parecia uma multidão... Que nem pra posse do Obama. O povo tava até feliz...O lugar parecia uma fazenda. E eu estava sentada na grama quando chega o Daniel e diz que você não vinha... Ai ele falava pra eu ficar calma e disse que você tinha se machucado. Eu começava a chorar... Abracei ele e chorava e o sonho acabou.

Sei lá, só pra mim que os dois sonhos são iguais, mas vistos por pontos de vista diferentes?

Frase do Dia:

"O Passado é história, o futuro é mistério, e o agora é uma dádiva, e por isso se chama presente."

Mestre Oogway

domingo, 6 de setembro de 2009

Se eu fosse um peixinho, lá lá lá lá lá

Se eu fosse um animal, seria uma águia

Se eu fosse um personagem de videogame, seria Max Payne

Se eu fosse um personagem de filme, seria o Narrador

Se eu fosse um objeto, seria um Pen Drive

Se eu fosse um político, seria Vladmir Lenin

Se eu fosse uma celebridade, seria Jared Leto

Se eu fosse um músico, seria Bernard Bonvoisin (vocalista da Trust)

Se eu fosse um dançarino, seria Serge Diaghilev

Se eu fosse um escritor, seria Drummond

Se eu fosse um piloto, seria Valentino Rossi

Se eu fosse um jogador de futebol, seria Juninho Pernambucano

Se eu fosse um país, seria a Espanha

Se eu fosse uma mulher, seria Joanna d´Arc

Se eu fosse um livro, seria "Life, the Universe and Everything"

Se eu fosse um personagem de livro, seria Dom Casmurro


Se eu fosse uma Frase do Dia seria:

"Amor, evite se possível"


Douglas Adams

E vocês, o que seriam?

domingo, 30 de agosto de 2009

Pediatria é meu Prozac...


Times like this em que quase tudo me cansa e me deixa pra baixo, uma parte da minha vida tem se destacado em me colocar pra cima: O pronto-socorro de Pediatria do HRAN.

Sei lá, aqueles infantes catarrentos, febris, com dor de barriga tem conseguido arrancar uns sorrisos da minha cara sisuda. Dois casos em especial devem ficar na minha mente um bom tempo.

O primeiro é o de um menininho que chegou com dor abdominal aguda no flanco direito, com irradiação para todo o abdômem. Mas não foi isso que me marcou. Eu era o primeiro "médico" que falava com ele e, como quase todo estudante da ESCS, acredito que tratei ele diferente dos demais pediatras que ele conheceu. Falei com ele sobre futebol, carros, filmes, livros...enfim, chegou um certo momento em que ele chegou e disse:

-Gustavo, você não que ser meu médico pra sempre?

Sério, quase arrancou lágrimas dos meus olhos...

O segundo era uma meninha com epilepsia, linda de morrer, loirinha, olho verde, super simpática e solteira...pena que só tinha 6 anos. =( Foi uma das pacientes mais simpáticas que eu já atendi, sorridente até dizer chega. Então ela chegou pra mim e disse:

-Gustavo, acho que você devia cortar o cabelo igual o do crachá, porque assim você fica muito mais bonito.

e emendou:

-Quando você entrou eu achei que era uma médica.

Se fosse qualquer outra pessoa, eu ficaria relativamente ofendido, mas dela eu deu uma risada, que ela acompanhou.

De qualquer maneira, essa experiência tem me lembrado que eu só consigo conquistar cocotas com algumas características. Elas tem que ter menos de 10 anos, mais de 30 ou serem casadas. É engraçado como eu sou um bom partido na opinião delas.

Já as da minha idade, ou se interessam pelos mais velhos, ou participam do PAV (programa de atenção ao veterano), ou do PAR (Programa de atenção ao interno), do PAA (programa de atenção ao advogado) ou até mesmo do PAI(programa de atenção ao interno). Fora as preferências clássicas pelos bonitões, bombados, aventureiros, músicos e etc. Enfim, em nenhuma das categorias que eu entro.

Fazer o que...

Frase do Dia:

"Você é professor?"


Da mesma cocota da frase do crachá.

domingo, 23 de agosto de 2009

Quero ser astronauta!

Quando eu era pequeno (e quando eu era grande) sempre me disseram que eu saberia no momento certo o que eu queria ser na vida. Médico, Bombeiro, Astronauta, o que quer que fosse. Diziam que em um determinado momento meu coração me diria que era naquilo que eu ia fazer a diferença, naquilo que eu seria bom.

E, por algum motivo que eu não sei, a Angústia e a Solidão que eu sinto atualmente não se parecem em nada com o sentimento supracitado. Principalmente nesse semestre que eu peguei mais professores carrascos do que deveria e o cansaço está chegando no limiar do suportável, começa a pintar uma dúvida em relação se era mesmo pra isso que eu nasci.

Pra piorar ainda mais a situação, fui assistir hoje a uma corrida do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade, e algumas pessoas me fizeram refletir se o que eu sinto quando assisto uma corrida de moto não é meu ego me dizendo que era isso que eu devia fazer.

O Primeiro foi um guri de apenas doze anos, Patrick Matos, que pasmem, é o vice-lider da categoria dele, que acredito que corre desde pequenino, e faz daquilo uma diversão e uma futura profissão, como ficou evidenciado em sua entrevista depois da corrida:

Fonte: Site Oficial da Cerciari

- Bem eu quero começar aqui, pra depois ir para a Europa e quem sabe correr no Mundial.

Pra quem duvida d0 sonho do garoto, Alexandre Barros começou assim, e Eric Granado está indo no mesmo caminho. Ele me ensinou que nunca é cedo demais para começar a fazer o que se gosta e para o que se tem talento.

O Segundo foi um senhor já idoso, exato oposto do anterior, que acabou andando bem atrás dos demais, e esse desempenho era justificado frequentemente pelo narrador devido a idade do jovem:

-Gente o Seu Antônio já tem 56 anos, ele corre pra se divertir, e como, andando pelo país fazendo o que gosta.

Logo após o término da corrida, em que Seu Antônio chegou em 5º de cinco corredores o narrador rapidamente se pôs a tentar provar sua tese:

-Seu Antônio, eu estava dizendo pro pessoal que como o senhor tem 56 anos, o senhor corre apenas pra se divertir...

Foi quando o piloto interrompeu:

-Rapaz, primeiro eu tenho 66 anos e segundo eu quero melhorar pra poder competir, afinal corrida é corrida.

Pra quem duvida do rapaz, lembrem-se de George Foremann, George Milla e outros. Ele me ensinou que nunca é tarde para começar, e também me fez ficar com uma inveja danada.

O terceiro foi o vencedor da 125, Rangel Lopes, brasiliense que ganhou a prova e o coração da torcida, sendo de longe o piloto que mais comemorou a vitória, pulando em cima da moto e dando repetidos murros na moto. Queria estar no lugar dele para sentir essa felicidade.

E os dois últimos foram o primeiro e segundo lugar da Superbike, a categoria mais nobre da motovelocidade brasileira, Danilo Andric e Pierre Chofard, que foram responsáveis por uma das batalhas mais épicas que já vi, do nível de Jorge Lorenzo e Valentino Rossi esse ano.

Danilo Andric Fonte: O Globo


Pierre Chofard Fonte: O Globo

Fazia muito tempo que eu não tinha tanta adrelina correndo no meu sangue, aquilo sim era algo que eu queria fazer pelo resto da vida, o momento é magico. Mas eu acho que eu nunca tive talento pra fazer as coisas que eu gosto, então me resta assistir. Se quiserem assistir comigo.

Pega fenomenal entre Jorge Lorenzo e Valentino Rossi. Pra mim é o que mais vale a pena assistir.

Carona com Valentino na pista de... alguém desconfia pelo verde e amarelo? Jacarepaguá. Pra quem sempre quis saber como é andar em um circuito.

Paddock Girls, Se você achou difícil correr do jeito do vídeo anterior, imagine com essas cocotas te tirando a atenção.

Frase do Dia:

"O sonho do motociclista é composto de diversas partes, a vida é sua estrada, a liberdade são seus pneus, a prudência e a inteligência são seus freios, a segurança é seu equipamento, o desafio é seu combustível e sua moto é o motor que torna tudo possível!"

By Eu

domingo, 16 de agosto de 2009

Tenho que parar de trair minha namorada

Sabe aqueles filmes em que aparece um mendigo do nada e começa a fazer premonições e dar conselhos pessoais sobre a vida da pessoa, geralmente baseados na aparêcia do jovem ou até mesmo em capacidades sobre-naturais.

Pois bem, ontem rolou um encontro de um fórum de que participo e de onde se tira boa parte das gírias que eu e meus amigos usamos no dia a dia (Champz, por exemplo, vem de lá, com pequenas adaptações).

O encontro foi no por do sol, um lugar perfeito para um bando de nerds bv se encontrarem, apesar que a maioria dos nerds estudar na UnB, daí talvez se justificar a preferência pelo local no mínimo curioso.

Enfim, depois de muito beber, ciscar diversas cocotas, ter meu cabelo elogiado por algumas, levar calotes no pagamento da conta e socorrer os tetudos bêbados, decidimos que o melhor a se fazer era ir jogar sinuca em um bar que não exigisse identidade, devido a falta da mesma por alguns dos integrantes.

Bem, chegando ao local que aconteceu a parte interessante da noite. Um senhor já de idade veio nos pedir dinheiro para ajudar a sua família, alegando que se não acreditássemos poderiamos ir até a casa dele confirmar o fato. De certa maneira fiquei comovido e resolvi ajudar, assim como os demais tetudos. Ele então começou a dar conselhos e fazer previsões, me levando a lembrar diversos filmes que já assisti.

Disse coisas aleatórias para os tetudos e as tetudas que estavam presentes e disse para mim que eu parecia um artista de televisão que ele não se lembrava o nome. Mas o mais importante foi o que ele disse depois, quando estava quase indo embora:

-Eu sei que você tem uma namorada linda, que te ama... e que as outras 5 caem em cima, mas isso não te permite fazer isso. Para de trair ela.

WHAT

THE

FUCK

O único jeito de trair minha namorada seria usando a mão esquerda ao invés da direita. Seriously guy, Seriously.

Falando sério agora, eu não tenho nem namorada, e mesmo se tivesse, tenho uma regra moral de não ficar, namorar, jogar videogame com outra cocota enquanto estou comprometido. Nunca fiz isso e nunca devo fazer. Mas essa não foi a primeira vez que fui chamado de mlk piranha farpador que chega nas mina na balada dançado igual o Rick Astley.

Aliás, essa não é a primeira vez que dizer que eu sou alguma coisa que não sou.

E isso me traz a uma grande questão existencial, por que diabos as pessoas acham que eu sou exatamente o oposto do que eu sou.

Na primeira vez que as pessoas me encontram elas se sentem tentadas a achar que eu sou um liferuller, aventureiro, que faz história filosofia ou geologia, anda de moto, extrovertido e brincalhão, quando na verdade sou nerd, sedentário, que faz curso normal, que não pode andar de moto, tímido e levemente depressivo.

Deve ser esse um dos motivos da minha dificuldade em manter um relacionamento, eu vendo um produto que eu não sou...

Frase do dia:

"O problema não é meu
o paraíso é para todos
o problema não sou eu
o inferno são so outros, o inferno são os outros"

Titãs

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Fagner, a Voz Amigay

Muita gente diz que o Fagner só canta música brega e de corno, eu por outro lado sempre vejo em suas música uma representação muito maior dos amigais do que dos mais felizardos cornos. È fácil, toda vez que eu ouço a voz cearense no rádio, no CD Player, MP3 ou Youtube, eu dificilmente deixo de me identificar, pricipalmente quando estou tentando conquistar uma cocota que não quer nada comigo.

Não preciso falar muito, as músicas da Voz dizem por si só.

Afinal tudo o que o nerd queria era ser um peixe, para em seu límpido aquário mergulhar...Pobre coração, bem melhor que não tivera.

Borbulhas de Amor

Mas a cocota nunca quer, e deixa o Nerd com a asa partida, com a saudade e um cigarro e a noite sobre a mesa

Asa Partida

Enquanto ela comete deslizes por ai, fazendo do nerd o que bem quer, afinal ela não queria estragar a amizade, afinal ficar com o jovem tem uma possibilidade mil vezes maior de findar a amizade do que ela ficar se pegando com todo mundo na frente dela. Ele não reclama, e fecha os olhos, afinal o silêncio vale um abraço. Ela resolve em outros braços suas crises, e em outros beijos ele não consegue esquecer.

Deslizes

E o nerd tenta superar, mas o cabra pode ser valente, e chorar, ter meio mundo de dinheiro, e chorar, forte que nem cearense, e chorar, só precisa da saudade e da lembrança.

Lembrança de um beijo, com participação especial do Cãozinho dos teclados

Só uma coisa lhe entristece, o beijo de amor que não roubou

Jura Secreta

Mas ele chora e tem que seguir em frente, afinal é um guerreiro, e ainda tem muito o que aprender.

Guerreiro Menino

Afinal, nem todos, principalmente os nerds, tem sorte.

Lucky

Frase do Dia:

"Saudade já tem nome de mulher
quem é pra fazer do homem o que bem quer..."

Fagner

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Arrependimento e Chocolate

Como um bom nerd que sou, hoje tive um dia cheio de aventuras, que não foram no Tibia, Super Mario ou no Age of Empires

Eu sempre me arrependo do que eu não faço, acho que a possibilidade de pensar que daquela vez daria certo sempre me deixa triste. Entretanto eu sempre me arrependo das maiorias da coisas que eu faço, porque na imensa maioria elas não dão certo.

Hoje fui comprar um chocolate por causa de um mau entendido que ocorreu ontem. E como meu pai sempre disse: "Se quer se desculpar com uma dama, compre chocolate". Além disso, a cocota já tinha me dito uma vez que queria de presente uma caixa de bombons da Kopenhagen (que custa menos que um controle do Wii, ou seja, um preço justo).

Enfim, como um grande conhecedor de chocolate que sou, conhecendo todas as nuances do ao leite, cheio de gorduras trans, até o amargo com 99% de cacau que derrete na boca, acabei usando um método justo, racional e científico: escolhi o que tinha a caixa mais bonita. Obviamente que na Kopenhagen havia mais de uma caixa bonita, e eu fiquei em dúvida entre esse dois.



Uma vendedora, provavelmente notando minha cara de interrogação, começou a seguinte conversa:
-Posso ajudar?

Eu, muito manjador, quase um maracujá, respondi:
-Estou em dúvida entre essa duas, o que você sugere.

A vendedora, comovida pela minha ignorância:
-Bem, se ela gostar de licor, leve esse vermelho, caso contrário leve o outro.

Eu, percebendo que eu era quase um manjericão por não ter pensado em algo tão óbvio, retruquei:
- E se eu não souber do que ela gosta?

Ela, visivelmente irritada:
- Bem, ai você vai pelo seu gosto.

Eu pensei em responder que não gostava de chocolate, mas resolvi não irritar ainda mais a bela vendedora de olhos verdes, cabelos dourados e bochechas rosadas da mesma maneira que havia irritado a futura dona da caixa de chocolates, respondi:
-Então eu vou levar a sem licor.

Ela sorridente, pegou a caixa e começou a embrulhar pra presente, eu paguei, peguei a caixa e não a vendedora e fui entregar o presente. Antes de entregar liguei para a dita cuja:
-Alô?
-Alô?
-É a Fernanda?
-Sou sim.
-É o Gustavo, posso passar ai na sua casa?
-Nãooooooo.
- =/...Então tá.
-Pode vir sim, é que eu vou sair.
-Mas é rapidinho.
-Então tá.

Me deslocando até a casa, entreguei a caixa, mas ela estava de regime.

FIM

ps: lógico que ela levou a caixa, onde já se viu mulher recusar chocolate...

Frase do Dia:

" -Ahhhh... mas eu não quero...
-Então me dá que eu dou pra minha mãe.
-CLARO QUE NÃO!"

Fernanda, que não quer, mas não quer taaaaanto assim, traindo a dieta.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Principe Encantado

Ando meio sem vontade de escrever no Blog, aliás ando com uma grande vontade de parar de escrever de vez, enterrar o Invisible. Não só no blog que ando tendo esse tipo de vontade, ando bem desanimado com quase todas as atividades, da faculdade a jogar videogame.

Parece que tudo o que eu antigamente gostava de fazer hoje me parece jogar tempo fora. Talvez meus finalmente tenham me convencido, ou não, talvez tenha cansado de lutar contra o mundo. É difícil ganhar, e quando se ganhar, se tem uma vitória nua, sem ninguém ao seu lado pra compartilhar.

O blog atualmente me lembra uma característica interessante minha, sou um péssimo conquistador. Não no sentido amoroso da coisa, quer dizer, não no sentido namoroso da coisa. Até com amizades mesmo. As pessoas tem uma mania engraçada, nem tanto pra dizer a verdade, de enjoarem de mim e se afastarem.

Creio que ando escrevendo para quase ninguém.

Outra coisa que eu acho engraçado é esse negócio de ser um príncipe encantado. Acho que todo homem tem um pouco dentro de si. Até eu já recebi esse elogio algumas vezes, claro que de mulheres que jamais pensaram em ter um relacionamento comigo.

Mas eu não sei, é o cúmulo da subjetividade.

Fico pensando que talvez seja a hora de desistir, de tentar fazer diferente, de deixar de seguir o conselho mais velho do mundo: "faça o que te fizer feliz". O mundo não é o momento e nem o lugar de sermos felizes, o reino do céu é dos deprimidos.

Talvez seja a hora de desistir de fazer valer minha opinião, ela perdeu tanto o valor que entrou no que chamamos de choque irreversível, na qual por melhor que seja a tentativa do tratamento, ela já morreu, e vai morrer.

Talvez seja a hora de esquecer os sonhos. Apesar de não ter exatamente certeza se ainda tenho sonhos e objetivos. Talvez seja a hora de deixar de tentar ser um príncipe encantado e simplesmente me assumir como um sapo. Pelo menos minha saúde é de ferro...

Nem tanto pra dizer a verdade.

Frase do dia:

"Sempre achei que você fosse o Lancelot"

Fernanda, desconhecendo o fato de que Lance tinha um olho cumprido demais pra mulher do melhor amigo...

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Entrevista com o vampiro

Recebi a ilustre visita de Dark Prince, que escreve o Viva la Relatividad e como bons nerds que somos, visitamos a galere e no tempo útil jogamos videogames. Como estava preocupado com os leitores resolvi colocar um post com uma entrevista com ele, nos contando sobre a viagem.

Daniel Seixas
19 anos de pura pegação
Engenheiro Civil pela UFMG

Honras e Méritos:

com 3 anos:Ganha o concurso Jonhson Baby
Entra na Faculdade de Havard, onde até hoje é professor catedrático

aos 5:Marca seu milésimo gol
compõe a música Tive Razão, que cedeu a Seu Jorge mais tarde.
começa sua parceria de muito sucesso com Lulu Santos

aos 7:Se torna o maior ganhador de medalhas de Ouro em olimpíadas
é cortado da seleção brasileira por contusão

aos 11:entra no CMB
Conhece Gustavo Grilo e juntos Fundam a Caçadores de Ostras e Toupeiras (que mais tarde depois da entrada de Douglas Laurindo se tornaria a Senzala.)
Também nessa época a parceria com Grilo resulta no seu maior trabalho intelectual com criações como Cobrinha, Whatsbubbles,
To nem aí e Festa no apê, que mais tarde se tornariam grandes hits populares.

aos 12 e 13: se muda para o Peru
Com sua habilidade no arremesso de peso faz o Peru crescer.
ganha 19 vezes o Panamericano

Ganha 3 vezes o concurso de Latino mais Sexy pela Amante Latino Magazine

Aos 15: Retorna ao Brasil
Aprende com Felipe de Góis, Consoni e outros a Jogar Black Hand e Futebol com bolinha de tênis.
Participa do XXV International Senzala Championship, vencendo as seguintes modalidades: Futebol de bolinha de tênis e de Latinha por equipes e Blackhand Duplas e ganhando os seguintes prêmios: Best Tênis Ball´s Football Trick com a Batidinha e Best Futsal GoalKepper.

Aos 16: Resolve se dedicar ao Humor tendo em Lorena Morena Pequena e Renata Popozuda Doceira Sanches suas principais cobaias para suas piadas altamente cômicas.
Participa do Desenvolvimento do Nintendo Wii sob o Codinome de Shigeru Myamoto.
Participa da consolidação de modinhas no Cmb como Chuck Norris, Owned, Tunak Tunak Tun entre outros.

Aos 17: se muda para O Cmbh onde funda a Senzala!BH com equipes de Natação e Judô
Visita seu antigo colégio, onde é bem recebido e amado por todos!
Utiliza um capuz de assaltante de seu amigo.

Entrevista

Gustavo: gostou de sua visita a Brasília?
Daniel: gostei.

G: qual foi sua atividade favorita?
D: gostei das visitas, superaram minha expectativas, e foi muito bom te encontrar depois de quase dois anos de muito amor (risos).

G:Como foi seu encontro com a Bru?
D: fiquei decepcionado porque ele a não é mais ruiva e pra mim ela é bem diferente do que eu esperava, tanto fisicamente como em conversa.

G:Conte-me mais.
D: a voz dela é bem diferente e ela não parece com as fotos que ela coloca nos sites (risos), de modo que não reconheceria ela na rua. Mas foi legal conhece-la.

G: E a V?
D: Não conversei com ela. (risos)

G: airaiiariiariira como assim Bial?
D: Não esperava que ela fosse tão tímida, a ponto de não fazer o Moonwalker com a gente, o que me deixou chateado. Achei qeu ela fosse mais muleka piranha hihihihi (risos).

G:E a Fah?
D: é a mais serelepe de todas, me deu mole, na frente do namorado (nota do entrevistador, dei em cima do namorado dela), e ela também é um pouco diferente do que u imaginava.

G: E como foi conhecer a pessoa mais nerd de Brasília?
D: Gostei do namorado da FAh, mó nerdão, rindo/delirando das piadas do Tibia. iariiraiiariraiarirai

G: e como você se sentiu sendo sumariamente ignorado pelo garçom indie do café cult, sobre o nosso Paozito de queso?
D:Inicialmente eu me senti ignorado, mas nem fiquei bravo, pois cabelo dele, me conquistou e alem disso eu queria pão de queijo, que chgeou antes da Fah. (nota do entrevistador, tempo de preparo do pão de queijo 1:30 h, tempo de espera da Fah 2h)

G: Você acreditou na desculpa de que tinha acabado a a gasolina?
Não, ela deve ter batido o carro em um caminbhão pipa de capuccino italiano (nota do entrevistador, o indiano não tinha café) com adicional de tomates.

G: Conte-me como você se sente quando dizem "você está mais magro" / "você é muito alto"?
D: Me sinto muito alto (risos), como se eu não soubesse, me sinto deslocado da sociedade, como se eu não soubesse disso né? Me sinto, sobre a pergunta do magro, que eu era muiiiiito gordo, do tipo que rolava por ai.

G:Como você se sente sendo um pegador de gatas?
D: Não sou pegador de gatas, sou nerd e bv (nota do entrevistador, deve pegar só na mão da Liz, afinal, depois da derrota do Cruzeiro....)

G:Como você se sente com a derrota do Cruzeiro?
D: Decepcionado, achei que ia ganhar. Fiquei triste, é o Brasil na libertadores mano! raiiaiiariarirai

G:Rapidinhas, Qual o melhor jogo de todos os tempos?
D:Prince of Persia 1989.

G:E o videogame?
D:Não tenho preferência.

G:Quando você perdeu o BV?
D: Sou BV.

G: Filme favorito?
D: Um morto muito louco.

G: Livro?
D: Calculo I

G: Carro ou moto?
D: Carro, não, os dois (Manjericão)

G: Praia ou Montanha?
D: Montanha

G: Dorgas manos, raiiiriairiair?
D: Pague o Aluguel!

G:Frase?
D:Tchuim-tchuim-tchum-claim! (Nota do Entrevistador, 42 ganha)

G: Site?
D: Youtube.

G: Ídolo?
D: Pancheri

G: Time do Coração?
D: Uberlândia FC (Nota, ele está com vergonha de dizer que é flamenguista)

G: Gato?
D: Edson Celulari

G: Gata?
D: Stacy London (nota do entrevistador, ele pesquisou no Google sobre o esquadrão da moda...)

G:Inteligente?
D:Gustavo. airiiriairiairiraia

G:Gosta?
D: Violar o tocão!

G:Odeia?
D:Hippies que arrebentam sia corda de aço do violão.

G:Esporte?
D:Dança das cadeiras.

G: E pra finalizar, deixe uma mensagem para os leitores.
D: Tolice é viver a vida assim sem aventuras, bananas, panquecas, cobrinha e whatsbubbles!

Nota do Entrevistador, nem todas as informações foram dadas por ele, adicionei algumas, mas todas verídicas!!!


Frase do Dia do entrevistado

"O pão de queijo ainda não chegou!?!?!?!?!?!?!"

By Garçom Indie

sábado, 4 de julho de 2009

Um dia de Rei

As vezes eu fico surpreso com o quanto é interessante a relação de um fã com um ídolo. Basta alguns Ingredientes simples.
-Um chapéu de marfioso
-Sapato
-Meia cano longo
-uma calça com listra amarela
-uma camisa branca
-um casaco de lantejoulas
-uma luva de lantejoulas
-um penteado diferente
-Alguns anos de ballet clássico
-Mais alguns anos de cover

e pronto, por um dia você pode se tornar um de seus maiores ídolos.

Brilhar por um dia, fazer uma homenagem a quem tanto te inspirou.

Ser parado a cada cinco passos para pedirem para fazer um moonwalk ou a dança do thriller, e se surpreenderem por você ser o único Michael da festa que realmente sabe dançar. Ser parado a cada cinco metros para tirar fotos com ultra-gostosas se esfregando em você, elas que em qualquer outra situação nem sequer olhariam na sua cara. Ser cantando por boa parte das cocotas da festa, receber abraços e agradecimentos por não ter morrido. Responder com bom humor os milhares de "Michael, eles não ligam pra gente". Pedirem pra você fazer a paradinha(foto debaixo). Ser elogiado por pessoas que nunca te elogiam. Bizarro.

Encontrar com outros Deuses da Música, como Chimbagod, vulgo Chimbinha.

Compartilhar espaços com outras celebridades como David Bowie, e a Kagome/colegial genérica/ Sailor Júpiter

Ou com grandes astros da televisão como O cara viadinho da Vingança dos Nerds, Rufus o Lenhador ou o Exterminador do futuro.


Mas na festa de ontem existiram dois momentos realmente especiais. O primeiro foi mais engraçado, uma cocota chegou do nada agarrando fortemente o meu braço e perguntou: "Tá solteiro?". Eu nessas situações e ainda sobre pressão faço muita merda, e dessa vez não foi diferente, falei: "Ele está!" apontando para o jovem John. Ela foi embora e eu terminei a noite sozinho. =P

A segunda quase derramou lágrimas dos meus olhos. Uma cocota gatíssima me parou, me deu um abraço forte, desses que eu poucas vezes recebi na vida e disse:

"Eu te amo! Eu te amo! Que bom que você está aqui, que bom que você não morreu!"

Sério, é interessante ver que mesmo todos tentando derrubá-lo, a maioria das pessoa ainda adora o cara, e pra muita gente a ficha não caiu, o Pop morreu, a gente vivenviciou a história.

Frase do Dia:

"Where there will be love / I´ll be there!"

Michael Jackson